sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Achamos que é o fim linha

Vai no Spotify, procura por Manu Gavassi e clica em aleatório, coloque seus fones de ouvido e se deixe levar. Você sente até o que você não quer sentir. Pensa em toda a sua vida amorosa, mesmo ela sendo um desastre. Mas as músicas da Manu te passam exatamente o que você está sentindo.

Eu faço muito isso. As vezes chego até a me arrepender por que penso demais no que não deveria sentir. Em uma das vezes que eu me deitei e coloquei as músicas dela no aleatório eu descobri que nós amamos até que doa demais, e então passamos para o próximo.

"A gente ama até sangra" faz um tremendo sentido para mim. Quando começamos a amar alguém, no começo, sempre parece o certo. Até que não parece mais. Até que você mais chora do que sorri quando se trata da pessoa. Quando ela te arranca mais lágrimas do que sorriso é o sinal de que esgotou e não tem mais o que salvar.

Então prometemos que nunca mais vamos amar de novo. Porque nos machucou tanto que não queremos sentir isso outra vez. Mas a nossa mente não para de mudar. E de repente você se depara amando outra pessoa. Finalmente  você supera e está pronto para outra história.

E no começo de cada história nós nunca achamos que podemos nos machucar. Sempre pensamos o melhor. E botamos toda nossa fé e forças naquilo. Nos gastamos, nos doamos de corpo e alma. Talvez essa seja a última história da sua vida. O seu "felizes para sempre" e você vê que tudo valeu a pena. Mas talvez não.

Talvez essa nova pessoa te machuque de novo, e mais uma vez você mais chore do que sorri. Então percebe que está na hora de seguir em frente de novo. Sem olhar para trás. Não olhe para trás.

E essa é a vida do ser humano. Viver a procura de quem te completará. Aquela pessoa que apesar de não ser perfeita, não faz as coisas, de propósito, para te machucar. Quando chegamos no fim de uma história sempre achamos que nunca vamos conseguir começar outra.

Achamos que é o fim da linha. Mas então, quando você menos espera, aparece outra pessoa e você dá início a uma nova história. Talvez como um pessoa que surgiu na sua vida, talvez como alguém que sempre fez parte dela.

O importante é não perdemos nossa fé no amor. Não podemos desistir de encontrar a nossa felicidade.