quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Resenha: Um Perfeito Cavalheiro - Julia Quinn

Um Perfeito Cavalheiro Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhce o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica. 

Livro 03 da série Os Bridgertons. Não contém Spoilers dos anteriores porque a série não é um sequência já que cada livro conta a história de cada irmão. (Leia aqui a resenha do 1º)
Até agora esse é o meu preferido dessa série. Ele conta a história de Benedict, o segundo Bridgerton, o mais alto e talvez o mais temperamental, isso se deixarmos as mulheres de fora. Benedict conhece Sophie em um baile de mascaras e antes mesmo de ver ela ele já sente algo diferente no ar. Uma mágica talvez, e ao se virar e olha-la ele de alguma forma sabe que ela é a mulher da sua vida. Ele sempre acreditou que só se apaixona uma vez na vida, e ao por seus olhos na bela mulher acredita piamente que ela é sua paixão para vida vida toda.

Só que o Benedict não sabe é que Sophie é filha bastarda de um Conde falecido o que a faz ser mal vista pela sociedade. Mas não é apenas isso, quando seu pai, que nunca a tratou como filha e sim como pupila, morre sua madrasta, que faz jus ao nome, esconde o fato de que ele lhe deixou dinheiro e a faz se tornar não bem sua criada, porque criadas são pagas, mas sim sua escrava. A trata como lixo e a obriga a fazer o trabalho que seria preciso 3 criadas para fazer. E sua duas filhas não ficam muito longe não. Desde quando elas eram crianças as duas a tratam como alguém inferior. E Sophie passa a acreditar que é mesmo inferior.
Os Bridgertons são de longe a família mais popular de Londres e suas festas são as melhores, e o sonho de Sophie é ir em uma, e ao saber que terá uma naquela noite a governanta na casa, que sempre tratou Sophie como filha, lhe arruma uma belo vestido, que dá um belo banho, que coloca uma bela mascara e pega um par de sapatos da madrasta e lhe arruma uma carruagem, e assim Sophei vai a festa.

Mas ao chegar lá, e todos os olhares são voltados para ela, ela sente algo no ar. Mágica talvez. E quando olha para o lado e vê Benedict ela simplesmente sabe que ele era o motivo de ela ter ido aquela festa. Ele logo faz com que todos os homens da festa lhe abram caminho e a tira para dançar. Coisa que ela não sabe fazer, o que o deixa assustado já que todas as jovens aprendem a dançar logo cedo. Mas ele lhe leva ao terraço particular e só lá que ela percebe que ele é um Bridgerton, até então ela achava que ele era apenas mais um dos inúmeros homens simples da imensa Londres. Benedict lhe ensina a dançar e lhe faz mil perguntas, ela não lhe reponde nenhuma fazendo com que ele se apaixone ainda mais por todo o seu mistério. E quando ele lhe beija ela senti se arrepiar inteira. Mas então o gongo toca sinalizando que já é meia-noite e ela deve ir embora, se não será pega por sua madrasta. Sophie foge de Benedict sem ao mesmo dizer seu nome.

Ele passa 6 meses procurando ela por todas as casas tendo com base uma luva que ela esqueceu com ele. Quando não a encontra ele se afunda em uma tristeza profunda por acreditar que perdeu seu único amor.
2 anos se passam e Sophie que foi embora da casa de sua madrasta trabalha como arrumadeira na casa de um casal que tem um filho que vive para tentar se aproveitar dela e quando o casal viaja ele dá uma festa e chama vários amigos para beberem até cair. E Benedict é um desses amigos. Ao quase ser atacada Sophie decide ir embora, junta suas duas mudas de roupas e seus poucos pertences, mas ao sair da casa ela encontra o rapaz e dois amigos todos extremamente bêbados e ela quase é violentada, mas Benedict a salva. Ela quase não consegue acreditar que ele esta ali bem na sua frente. Mas quando ele não a reconhece ela tem seu coração partido ao perceber que tinha sido apenas mais uma para ele quando ela não passou um único dia sem pensar nele.

Ao perceber que a criada não tinha para onde ir Benedict, com seu enorme coração. decide leva-la junto com si para seu chalé e depois leva-la para Londres onde talvez consegui-se um emprego para ela na casa sua mãe. Mas ele não contava com uma horrível chuva no caminho que o faz ficar terrivelmente doente. E Sophie que cuida dele. No decorrer dos dias, Benedict, percebe que deseja a jovem criada como nunca desejou outra mulher, a não ser a mulher misteriosa que até hoje ele não conseguiu esquecer, e apos um incidente um tanto quanto vergonhoso envolvendo um Benedict nu ele não resiste e a beija e pedi para que ela seja amante dele. Mas Sophie não pode aceitar por ser fruto de justamente de uma relação assim já que sua mãe era uma criada que se envolveu com um Conde. Benedict não consegue aceitar o não e a obriga a ir para Londres com ele quando isso era tudo o que ela menos queria.

Ele consegue um emprego para ela na casa de sua mãe, que logo de cara já percebe que para seu filho o criada não era apenas uma criada e por isso cuida de Sophie com todo o amor. Coisa que Sophie nunca teve em casa e nem em lugar nenhum. Benedict não desisti da ideia de te-la como amante e praticamente persegue a jovem a cada instante do dia. Após um terrível acontecimento Sophie fica abalada e acaba aceitando ir para a casa do rapaz e ao chegar lá a emoção fala mais alto e ela acaba entregando a ele sua virgindade e ele acaba acreditando que o ato era um sim a seu pedido. Coisa que não era. Depois de um discussão Sophie volta para a casa da Sra. Bridgerton e eles ficam dias sem se ver. E quando ele enfim pretende pedi-la em casamente descobre os segredos que ela guarda: que ela nem sempre foi uma empregada, que era filha de bastarda de um Conde, portanto não tão ruim ao olhos da sociedade quanto uma criada e o principal que ela é a mulher misteriosa. E para melhorar ela acaba presa.
Será que Benedict vai conseguir passar por cima de todas as mentiras e viver esse amor com ela?

Eu amo a Julia Quinn e amo mais ainda romances de época, como vocês sabem. Amo mais ainda princesas da Disney e esse livro que é reconto de Cinderela de um jeito bem moderno não tinha como não se tornar um dos meus preferidos. Cinco estrelas para a forma como ela narra a história. Cinco estrelas para a forma como ela conseguiu transformar um clássico de todos os tempos em algo tão moderno, lindo e puro. Cinco estrelas para o Benedict que é meu Bridgerton preferido.