domingo, 28 de setembro de 2014

Estamos na Era Da Solidão



O homem pós-moderno ampliou seus horizontes e se tornou um ser mais crítico e seletivo.
Tal modificação histórica do comportamento Humano, teve como finalidade amenizar o vazio existencial das pessoas, ou simplesmente, atender às necessidades narcísicas de cada indivíduo.
Diversas pessoas começaram a temer a decepção com o próximo, o que dificultou o estabelecimento de novos vínculos e relacionamentos na vida real.
O resultado desse afastamento foi o medo do contato com os demais e consigo mesmo, o que incapacitou muitos indivíduos de lidar com os sentimentos decorrentes de todas essas mudanças.
Rompendo com os conceitos de tempo e espaço, ele também se isolou dos seus próprios conceitos, uma vez que não tinha mais as barreiras antes delimitadas com a modernidade.
Os indivíduos pós-modernos se tornaram solitários, o que potencializou a sensação de vazio e a frustração decorrentes.
O que nos resta é a busca constante de si mesmo, para que este vazio seja preenchido, promovendo a libertação desta ERA, facilitando a retomada do brilho da vida em cada ser.

Autor Desconhecido

sábado, 27 de setembro de 2014

#Indicando: Backstreet Boys



Essa semana eu estava conversando com algumas amigas sobre música quando uma delas vira pra mim e me pergunta: Que é Backstreet Boys?


quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Gato da semana: David Luiz



E o Gato da semana de hoje é ele...
Meu amor.





Guerreiro.



Cabeludo.



O jogador mais lindo do mundo.





Que escolheu esperar.



Que é humilde.





Reprodução

Que faz as melhores caretas EVER











Que ama crianças.









Que tem um corpão de arrancar suspiros femininos e admiração masculina.







Que adora a Deus







Que joga com garra.







Tem as melhores Bromances











Tem o sorriso mais lindo do mundo.







Que dança super bem.

Reprodução






Não tem como não amar né?

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Fazer Deus feliz




Atualmente vivemos nos sociedade que diz o que devemos fazer, o que devemos ser, como devemos agir.
E muitas vezes, por pura confortatividade, nos deixamos levar pelo o que a sociedade/mídia nos impõe.
Mas pense comigo: Será que Deus, em toda a sua grandeza, está feliz com o jeito como você vem levando sua vida? Você lembra de Deus no decorrer da semana? Será que suas atitudes são atitudes que imitam as de Jesus? Porque Ele nos convida a sermos seus discípulos, e quem copia o mestre. Você tem copiado o Mestre? Ou sua vida em nada difere das de outras pessoas ao seu redor?
Eu venho me fazendo muito essas perguntas ultimamente. Eu tenho pensado bastante em todas as coisas que eu faço que desagradam a Deus, e eu comecei a me sentir constrangida por ter tantas atitudes que com certeza deixariam Deus triste.
Não quero que Deus fique triste comigo. Quero ter uma vida que alegre o coração D'Ele.
Que essa seja não só a minha vontade mas a de todos nós.
Deus abençoe vocês.

I Wish



Eu queria não ver seu rosto toda vez que fecho os olhos, eu queria que você se tornasse um passado distante na minha vida.
Não desejo nunca ter te conhecido porque eu fui feliz ao seu lado, sobre isso eu não posso mentir.
Eu te amei como nunca amei ninguém...
Mas agora isso já não faz diferença. Não quando você nem olha mais na minha direção.
Fingir que não me conhece te faz sentir melhor?
Eu gostaria muito de saber. Porque pra mim não adianta em nada.
Eu posso fingir que não estou te vendo, mas a verdade é que estou sempre te acompanhando pelo canto do olho. E quando eu mecho no cabelo e porque quero que você perceba que eu estou ali.
Mas eu queria seguir em frente sabe, ''a fila andou''. A minha ainda não andou. Também não vou mentir sobre isso. Nunca precisei mentir para você, até porque só de você me olhar já sabia se eu estava ou não falando a verdade.
Mas acho que isso não tem a menor importância. Eu só queria parar de te amar.

Resenha: Proibido - Tabitha Suzuma + Vamos falar de... Incesto

Hoje além da resenha tem Tag nova, na Vamos falar de... eu vou sempre estar comentando de vários assuntos diferentes. E hoje o tema é incesto.

Proibido Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis. Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes. Eles são irmão e irmã. Mas será que o mundo receberá de braços abertos aqueles que ousaram violar um de seus mais arraigados tabus? E você, receberia? Com extrema sutileza psicológica e sensibilidade poética, cenas de inesquecível beleza visual e diálogos de porte dramatúrgico, Suzuma tece uma tapeçaria visceralmente humana, fazendo pouco a pouco aflorar dos fios simples do quotidiano um assombroso mito eterno em toda a sua riqueza, mistério e profundidade.


sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Daquela amizade que vira amor



Amizade é algo tão raro, tão puro e tão forte.
Fazer um amigo e cultiva-lo é uma coisa incrível.
Eu sempre tive dificuldade em fazer amizades, porque sempre fui muito tímida. Mas nesses últimos tempos eu venho tento poucos mas bons amigos.
Amigas sempre foi o que eu mais tinha, já amigos era algo extremamente difícil.
A quase três anos atrás eu tinha um amigo. Na verdade ele era meu melhor amigo. Eu não passava um único  dia sem conversar com ele, a gente nunca conseguia se falar sem rir. Ele era o melhor amigo que uma menina poderia ter.
Mas então ele começou a namorar, e foi se distanciando aos poucos, até que em um belo dia eu me dei conta de que ele já mão me mandava mensagens, nem respondia as que eu mandava, e quando eu entrei no Facebook para conversar com ele por lá eu descobri que ele tinha me excluído.
Doeu bastante ser trocada assim. Ainda dói na verdade.
E naquele dia eu prometi para mim mesma que eu não me apegaria a nenhum cara que disse-se ser meu amigo. O que não quer dizer que eu parei de conversar com os meninos, eu só os rotulava como colegas e a palavra amigo para mim era sempre no feminino.
Isso nunca curou a dor que me ex melhor amigo me fez sentir, mas me protegia de ser machucada outra vez. Porque eu sabia que não aguentaria passar por aquilo outro vez.
Já se passou muito tempo desde essa história, e eu finalmente me permiti ter amigos de novo.
Amigos para conversar, rir, falar sobre futebol.
Mas então aos poucos eu fui percebendo que uma daquelas amizades não eram apenas amizade.
Percebi isso quando me dei conta de que eu não queria nenhuma menina perto dele, que eu queria ser a única na vida dele. Impossível eu sei.
Então, eu disse para mim mesma que eu não poderia estar gostando dele, porque ele era meu amigo oras e eu tinha acabado de sair de um relacionamento e eu jurava que ainda amava meu ex. Mas com o tempo eu percebi que sim, eu gostava do meu amigo. Um dos poucos amigos que eu tenho. O que fazer? Não quero perder a amizade de alguém tão importante assim para mim.
Deixei os dias passarem e cada dia mais eu conseguia ser menos transparentes sobre os meus sentimentos.
''Ele já deve ter notado.''
- É o que eu sempre pensava.
Não conseguia passar um dia sem falar com ele, e arranjava mil pretextos para tocar nele, nem que seja por um segundinho. E o jeito que ele me olhava me fazia derreter por dentro.
Ele sempre sorria para mim e eu achava que ele sorria daquele jeito só para mim.
Eu me enganei.
Como sempre.
Ele já tinha um amor, e para ele eu era realmente só uma amiga. Talvez nem a melhor, só uma entre várias.
Eu chorei.
Como sempre.
E depois disso jurei para mim mesma, mas uma vez, que eu realmente nunca mais deixaria um menino entrar pra dentro da vida, e muito menos do meu coração se dizendo meu amigo.
Machuca demais.
A vida tem dessas coisas.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014



"Não posso me ferir por alguém que não me cicatriza." - Eu me chamo Antônio 

Sylvia Day divulga capa de “Somente Sua”

Dia 11, em seu Facebook, a autora Sylvia Day, divulgou a capa de Somente Sua, quanto volume da sérieCrossfire.
O livro será lançado por aqui em 18 de novembro pela editora Paralela, no mesmo dia que será lançado nos EUA.
Somente Sua (#04)
Gideon me chama de anjo, mas ele é o milagre em minha vida. Meu lindo, guerreiro ferido, tão determinado a matar meus demônios enquanto se recusa a enfrentar os seus próprios. Os votos que tinhamos trocado deveriam ter nos ligado de forma mais apertada do que sangue e carne. Em vez disso,abriu velhas feridas, expondo dor e inseguranças, e isso atraiu amargos inimigos para fora das sombras. sinto ele escorregar da minha mão, meus maiores medos se tornando a minha realidade, meu amor testado de maneiras que eu não tinha certeza de que era forte o suficiente para suportar. Em um tempo brilhante em nossas vidas, a escuridão de seu passado invadiu e ameaçou tudo o que tínhamos trabalhado tão duramente para esquecer. Nós enfrentamos uma escolha terrível: a segurança familiar das vidas que tivemos antes de termos um ao outro ou a luta por um futuro que, de repente parecia um sonho impossível e sem esperança…

Fonte: http://livrosemserie.com.br/

domingo, 14 de setembro de 2014

Vai perceber



Você vai perceber o quanto perdeu quando meu coração não for mais seu.
Eu vou encontrar um cara que me ame de verdade, e ai sim, vou vai sentir minha falta.
Já não vou mais chorar noites inteiras por sua causa, já não vou mais de te ligar nos sábados de manhã só para saber se você está bem.  
Eu vou amar outro homem e você será apenas parte do meu passado, e ai sim você vai perceber que deixou a melhor parte da sua vida ir embora.
Você vai perceber o quanto eu era importante quando descobrir que ninguém jamais te amará tanto quanto eu.
Mas quando você perceber já será tarde demais.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Resenha: Mistérios Noturnos

Mistérios Noturnos "Mistérios Noturnos" reúne contos das quatro maiores autoras do romance erótico contemporâneo. Quem é fã da Irmandade da Adaga Negra não pode perder essas histórias de paixões arrebatadoras e criaturas fantásticas. Em um só livro, Sherrilyn Kenyon, J. R. Ward, Susan Squires e Dianna Love revelam aventuras eletrizantes. Vampiros apaixonados que lutam pela sobrevivência da espécie, bruxas sensuais e perigosas e um clã de lobisomens para lá de especial surpreendem a cada virada de página. Uma coletânea irresistível

Eu estava louca atrás desse livro, já tinha lido partes do primeiro conto então tinha uma expectativa enorme sobre os outros três. Me decepcionei um pouco.

O primeiro conto: História Familiar, eu devorei em algumas horas, e ele foi meu conto preferido, mesmo depois de ter lido os outros três. Eu nunca tinha lido nada da J.R. Ward, mas sempre tive uma vontade imensa de ler a série Irmandade Da Adaga Negra. No conto ela nos mostra um vampiro prisioneiro no sentido físico e também no emocional. A mãe dele, que é humana, não o vê desde seus 12 anos, e uma vez a cada ano o mordomo da casa deles sequestra uma mulher que fica presa com ele por três dias para que ele possa que alimentar dela. O vampiro de início não tem nem nome, tamanha foi a rejeição familiar que ele sofreu. Quem da um nome para ele é a Claire, e ela o batiza de Michael.
Michael é vampiro mais doce e ingenuo que eu já tive o prazer de conhecer. Por ter sido preso a vida toda e só ter interagido com as mulheres que eram mantidas presas com ele, ele nunca teve nenhum tipo de relacionamento intimo com elas. Mas com Claire isso muda. Eles se envolvem e logo se apaixonam, e ela já decide que quer ajuda-lo a fugir de la para ele possa ter uma vida de verdade.
Mas ele a faz esquecer dele e ela é levada embora no fim do terceiro dia. Quando volta a sua vida normal ela descobre que está gravida, e de um jeito bem estranho ela consegue achar ele mesmo sem estar procurando por ele, então eles fogem e têm uma vida juntos.
Eu gostei muito de tudo na história, principalmente o fato de que pela primeira vez a mocinha não era uma virgem ingenua e sim uma mulher experiente que direciona a relação.

No segundo conto: A Sombra Da Lua eu também gostei só que bem pouco. O problema foi que eu não intendi quase nada do mundo que a Sherrilyn Kenyon criou, eu acho que esse conto é tipo um Spin Off de uma saga porque nele ela cita alguns acontecimentos passados sem ter contado eles no conto. Então, eu tenho que procurar pra saber se tem mesmo uma saga, para caso tenha eu ler.
Mas tirando que eu não entendi o mundo entorno da história eu gostei dos personagens principais. Eles eram amigos de infância e quando chegaram na puberdade Angelia descobre que Fury é um lobo e por algum motivo que eu não intendi ela caça humanos que se transformam em animais, seja em Lobos ou em Leões, só que ela mesma também se transforma em Lobo. Vai entender...
Quando ela descobre esse dom dele ela tenta matar ele, e depois eles nunca mais de veem e passa centenas de anos, até que eles se reencontram.
Os dois se tornaram inimigos mortais e isso dura até que o desejo reprimido que um nutre pelo outro desde a infância não consegue mais ser contido e esses finalmente ficam juntos, e descobrem que foram destinados a serem parceiros. Basicamente a história é isso.
Fraquinha mas eu gostei porque é bem leve e me deixou com vontade de ler mais sore esses seres estranhos que autora criou de forma bem singular.

O terceiro conto: Além da noite foi o que eu menos gostei.
A história se baseia em uma vingança, o personagem principal tem uma vida tão rasa e sem motivação, e parece que ele não tem nada além do rancor dentro dele.
A mulher misteriosa que todos da cidade acham ser um fantasma na verdade é uma vampira, filha do vampiro mais poderoso e que passou a vida toda sendo uma espécie de treinadora sexual para os vampiros novos o que eu achei degradante.
Ela se envolve em um tipo meio doentio de relacionamento com o Drew, só que eles não se comunicam como pessoas normais fazem. Ele só sabe o nome dela e mais nada, e ele já se da por satisfeito.
Não gostei de nada da história, ela não fluía e eu quase desisti de ler. Mas como eu odeio largar um livro pela metade eu me forcei a ir até o fim.

Já o conto quatro: Beijo de adeus á Meia-Noite tem uma história legal e interessante, só que não conseguiu me prender.
O personagem principal é o tipico mocinho que larga a mulher amada para protege-la de si mesmo, e que fica contra tudo e todos para defender ela o que eu já não aguento mais.
A mulher é uma bruxa que ainda esta aprendendo a lidar com seus poderes e que passou os últimos 9 anos triste porque seu grande amor a largou sem motivo e do nada.
Quando ele retorna a cidade por causa de um trabalho e encontra com ela no começo ela fingi que não continua se derretendo por ele, e ele fica tentando se controlar para não joga-la na parede e beija-la e isso cansa bastante.
Quando enfim eles ficam junto começa uma guerra e complica a vida deles o que já era esperado.
Mas no fim tudo se resolve e ele decide que ficar com ela é melhor do que qualquer coisa e blá blá blá....

Resumindo, eu me decepcionei por ter esperado tanto do livro, mas eu recomendo pra quem gosta de histórias com seres sobrenaturais, mas lembrando que o livro é adulto e contém cenas de sexo em todos os contos.
Dou 4 estrelas, porque o primeiro  conto não merece levar a pior por causa dos outros contos.